Home
Motivos que promovem a minha saída da Igreja PDF Imprimir E-mail

A sua igreja está perdendo membros? Seus irmãos estão indo para outra igreja? Você não sabe o que está acontecendo? Está ouvindo comentários sobre isso?

Existem vários motivos para isso e é muito importante você saber e se posicionar a respeito, pois Deus vê de forma diferente do que vemos e pensa diferente do que pensamos. Vamos começar a olhar para o pensamento dos homens.

Ao primeiro sinal de igreja cheia, louvor tocando os corações e as revelações acontecendo e impactando pessoas faz com que pensemos que aquela igreja é uma bênção e o poder de Deus se manifesta ali.

Pensamos..., mas não significa que pensamos certo. Nem sempre uma igreja cheia de pessoas é sinônimo de bênção, ou de que Deus está aprovando o ajuntamento neste local. Sentimentos é a expressão do coração e podem ser enganosos. Uma das maiores comprovações sou eu estar num lugar supostamente abençoado e a minha vida está cada dia mais complicada e eu viver num desorganizado pensamento de porque tudo isso acontece comigo, apesar de minha igreja ser uma bênção. Nem sempre a porta que se abriu para eu entrar numa igreja é a mesma que se abriu para eu sair dela.

Não estou dizendo que eu não posso sair de uma igreja, estou dizendo que esta decisão é exclusivamente minha, não culparei ninguém por isso e arcarei com o ônus disto, porque cedo ou tarde o que fiz refletirá no que sou e mudará o que tenho. Eu tenho o livre arbítrio para decidir, mas não tenho direito algum em proceder como Adão, se isentando da situação e arrumando culpados. Eu decidi, eu assumo porque Deus dará a cada um segundo as suas próprias obras.

 

O ser humano tende a buscar sempre novidades no velho. Isso mesmo! Você não entendeu? Então vamos tentar explicar... Buscar o novo no velho é buscar novidades permanecendo na mesma postura do velho homem, ou seja, buscar mudanças sem permitir mudanças no veículo de busca, ou seja, eu! Quero que Deus faça algo para mim sem que eu empreenda esforço algum por isso. Vamos lembrar:

Jo 3:1 E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.

Jo 3:4 Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?

Jo 3:9 Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso?

 

Quando entramos na igreja é preciso o entendimento que Nicodemos não teve e por consequência não operou a graça.

Jesus comenta com o ouvinte chamado Nicodemos, que entrou em sua presença, ansiando em saber sobre o que ele tinha a dizer e ensinar... Ouviu que ele teria que nascer de novo e não entendeu retornando com a fala de não compreender isso.

Hoje isso se repete, tanto da parte de Jesus que continua dizendo sobre o novo nascimento, pois não adianta querer transformar velho em novo, isso não é possível, tanto da parte do membro da igreja, que não compreende o que é preciso fazer exatamente. Assim sendo , o ouvinte que precisa entender a palavra onde Jesus fala de mudança e mudança necessária para sair do velho e nascer para o novo.

É claro que a figura que Jesus criou foi para expressar a tamanha transformação que o homem deveria ter ao permitir sua entrada na igreja. Jesus disse com isso que ninguém conheceria ou receberia algo de Deus se isso não acontecesse. Nicodemos não entendeu isso e podemos entender, porque a Bíblia não menciona mais o seu nome depois desta fala de Jesus.

O que aconteceu com Nicodemos então?

O que acontece com quem muda de igreja sem entender o que é igreja!

Portanto, podemos dizer que a história continua a se repetir na igreja de Nicodemos (Igreja atual)... Falta compreensão de tornar-se uma nova criatura nascida de Deus pelo Poder e pela Palavra.

Nicodemos precisava se tornar o templo de Deus!

Quem se torna templo de Deus leva Jesus onde for e sua conduta não muda.

Mediante a isto podemos dizer que um dos motivos da pessoa sair da igreja é exatamente a síndrome de Nicodemos, ou seja, a falta de entendimento da vontade de Deus. Não basta apenas entrar na presença de Jesus é preciso aceita-lo, ou seja, admitir que o que a bíblia diz é a expressão da vontade de Deus e mudança será necessário.

Nascer de novo significa enterrar o meu eu velho e nascer para um novo eu a ser alimentado pela vontade de Deus. Força e disposição não são suficientes, mas adicionados a elas precisaremos de entendimento, discernimento, desejo de mudança, vontade de aprender tudo de novo, restauração de sentimento, enfim, converter-se para o novo com Deus no comando, pois o primeiro passo é admiti-lo como Senhor e o segundo é permiti-lo como Pastor.

Ao contrario disso, quando entramos numa igreja e confessamos Jesus começamos uma caminhada de apenas ver o que vai acontecer agora e se Deus vai fazer o que queremos.

Ignorando o sentimento de Deus continuamos alimentando o nosso ego e aguçando os nossos sentimentos. Invertendo-se as posições desta maneira começarei a trilhar a tão conhecida estrada da REBELDIA e isso se tornará em confusão de coração e por consequência me transformara em crente pássaro, ou seja, mudarei de gaiola, mas continuarei ser um pássaro preso e o único dono de meu espaço.

Renovo as penas, como, bebo e até canto, mas continuo sendo um pássaro preso em minha gaiola interior.

Em outras palavras mudarei de igreja, mas continuarei sendo não participante da graça de Deus. Minha vida não mudará porque eu não mudei e sou um problema comum ao velho tentando buscar um novo que não existirá. Sou um problema onde eu for e serei um dos motivos de rebeldia no local em que eu estiver. A Igreja é um lugar onde todos que estão ali tem o pleno conhecimento de si mesmo, no entanto fica mais fácil operar na síndrome de Adão... Foi aquela situação que o Senhor me deu, ou seja, devolve para Deus, o Pastor e os irmãos a culpa da minha insatisfação.

A igreja que deveria ser um lugar de libertação passa a ser, segundo o sentimento de seus membros, uma cela, compartimento prisional, onde cada um tem uma história linda para estar ali, olhando apenas para o defeito dos parceiros de cela almejando a liberdade de poder voltar para as ruas fazendo tudo que costumava fazer, mas agora com a liberdade assistida por Deus, o seu agente penitenciário, sim porque ninguém olha para Deus como Juiz. A Igreja tornou-se um “agora posso tudo e todas as coisas porque ele me fortalece para isso”...a pergunta é ele quem? Deus ou o diabo?

Se Deus, Ele me fortalece para ser liberto e não ter mais acusação, convencendo-me de deixar o pecado e a injustiça que eu mesmo opero. Deus sempre trabalhará em mim e não nos outros, sim porque quando eu permito Ele ser meu Senhor é o que está em mim que Ele irá trabalhar. O alvo dEle será sempre o meu eu, o que sou, o que tenho e o que faço! Os outros?   Problema é dEle somente, mas quanto a mim devo ser apenas como Cristo foi e me exige ser seu imitador. Pedir para Deus trabalhar em minha vida e ficar apontando o externo como razão do meu ser é no mínimo infantil como Nicodemos foi.

Se o diabo, ele me fortalece para ser alguém que pensa que pode tudo em nome de um deus misericordioso e cheio de amor, inclusive enganar, julgar, falar mal, criar contendas, mentir, se fazer de vítima e outras tantas coisas que só quem tem síndrome de Lúcifer pode fazê-lo. Hoje libertação é sair de uma igreja e ir para outra. Isso me faz sair de uma igreja.

Posso sair da igreja por causa do Pastor, pois ele erra comigo assim como Deus errou com Adão. Posso sair da igreja por causa do irmão que o Pastor admite ser o que eu julgo errado, mas nunca disse a ninguém que na verdade é inveja. Posso sair da igreja porque é melhor dizer que os outros são errados, mas eu nunca. Posso sair da igreja porque ela não tem isso ou aquilo, mas nunca fiz nada para ajudar.

Posso sair da igreja porque não oferece conhecimento, mas nunca abri a palavra de Deus para conhecer o meu próprio eu. Posso sair da igreja porque ela só tem eventos, mas nunca deixei de fazer as minhas festas particulares. Posso sair da igreja por falta de palavra, mas se a Palavra vier me exortar e ensinar não aceito. Posso sair da igreja porque não tem atividades, mas eu sempre fui antissocial.

Posso sair da igreja por motivos que eu mesmo não me encaixo porque sou esquisito. Posso sair da igreja porque não quero compromisso, mas tenho compromissos com o meu bem estar. Posso sair da igreja porque alguém comentou algo que inflamou meu coração, mas não quis entender que aceitei algo que não me diz respeito. Posso sair da igreja porque não quero dar dinheiro para obra, mas gasto tanto com tantas futilidades.

Enfim, os motivos podem ser muitos, mas todos apontam para um único lugar... O lugar de Nicodemos o ser fariseu e doutor do nada que se faz melhor do que os outros e nem compreende o ser ou ter. O lugar da soberba humana que prefere apontar a se auto criticar. O lugar do sábio sem entendimento faz com que o julgamento exija condenação. O lugar mais alto que chego onde o próximo passo é atingir o último estágio... O lugar de Lúcifer, um anjo de luz tão ofuscante que julga merecer o lugar de Deus.

Qual é o motivo das pessoas saírem de uma igreja e irem para outra falando daquela que estavam. O motivo da incompreensão de Nicodemos que os torna inocentes em sua própria culpa. Como fazer isso Senhor Jesus se é impossível!

Pensando assim posso ir para qualquer igreja, shopping, cinema, escola, restaurante e se por um momento eu reclamar de algo, ou julgar alguém tenho que reconhecer... O problema sou eu!

Colocarei a culpa sempre em alguém, mas nunca olharei para o verdadeiro culpado... EU!

Tem um dito popular que diz... Errar é humano!

Claro e perfeito.

2 Pe 3:9 O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.

Se errar é humano, reconhecer o erro também é humano! Se formos soberbos a ponto de pensar contrário a isso admitimos que não só podemos errar , que é natural, mas admitimos principalmente que queremos errar e nunca sermos condenados pelos nossos erros. Tornamo-nos deuses? A igreja não está imune à condenação e ela se dará se verdadeiramente o filho não nos libertar. Libertar de nós mesmos os únicos autores de nossa própria condenação. Estar em uma igreja não significa que sou a igreja naquele ambiente. Nem todo ajuntamento é para edificação.

Buscar um lugar em que ninguém me nota, onde eu não preciso produzir para o reino ou não preciso mostrar nada é bem compatível ao ser velho que insisto em ser e nem de perto sei o que é vontade de Deus. Falo bonito, faço cursos, tenho cargos, mas continuo sendo um problema onde quer que eu vá.

Ap 2:5 Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.

Não jogue a culpa em ninguém, como Adão quando foi indagado por Deus em seu erro, seja corajoso (a) em assumir que:

“O que contamina não é o que vem de fora, mas sempre, sempre e sempre, é o que sai de dentro de mim”.

Mc 7:15 Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é que contamina o homem.

Mc 7:18 E ele disse-lhes: Assim também vós estais sem entendimento? Não compreendeis que tudo o que de fora entra no homem não o pode contaminar,

Mc 7:20 E dizia: O que sai do homem isso contamina o homem.

Mc 7:23 Todos estes males procedem de dentro e contaminam o homem.

O que pode me tirar da igreja... O meu eu que insiste em não se converter a Deus, nas palavras Cristo, pois prefiro continuar ser apenas um ouvinte do pregador como Nicodemos. O bobinho que pensa que engana Deus como Adão. Na igreja de Nicodemos só tinha ele e Jesus, na sua e na minha também.

Certa vez, uma menina de louvor que ministrei, de outra igreja e na época estava sem equipe de louvor, disse que estava complicado ficar em sua igreja e que estava cansada dos problemas que lá existia. Ela me perguntou se o tempo de Deus tinha terminado ali e isso era um sinal, pois nem a palavra fazia mais efeito em seu coração. O coração dela estava contaminado e contaminando os outros.

Respondendo disse-lhe:

Ajuda seu Pastor, ele precisa de você! Fica e seja a diferença naquele lugar e Deus te honrará! Anima-te e contamine os outros com a sua conversão verdadeira. Seja um referencial inclusive para o Pastor, que precisa do seu amor e da sua compreensão, pois não é fácil ser um pastor.

Ele é como você, pode falhar, mas tem o direito de saber que está falhando. Condena-lo não adiantará, pois só Deus pode fazê-lo. Ajude-o como uma boa samaritana, limpe suas feridas e lhe dê apoio e mesmo que ele não reconheça lá no alto, bem do trono do todo poderoso sairá uma ordem a teu respeito e os anjos lhe servirão. Lembre-se errar é humano, mas se ele não reconhece o erro, se for ainda o caso, ele precisa de alguém que lhe mostre algo para poder endireitar suas veredas.

Vivemos encontrando um culpado!

Procurar encontrar meu R.G. na carteira e encarar a realidade é difícil, pois fácil é empurrar tudo para os outros.

Se saio é porque meu eu mandou , porque meu eu determinou, após ter julgado que o de fora está me contaminando, mas esqueço que faço parte dos contaminantes daquela igreja e nunca penso que sou igual ou pior do que os outros naquele lugar, porque se sou convertido de verdade serei a diferença em Cristo e por Deus.

Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve (Ml 3:18).

Pr Luciano